Concessões rodoviárias lançadas em Moçambique a partir de Abril de 2020

A concessão das secções nacionais de estradas de Moçambique a operadores privados está prevista para Abril de 2020, disse o director-geral da Administração Nacional de Estradas (ANE), citado pelo jornal moçambicano Notícias.

César Macuácua também disse que a análise das propostas técnicas e financeiras apresentadas por empresas nacionais e estrangeiras, no concurso público internacional lançado em agosto passado, está em andamento.

As seções em questão são Marracuene / Xai-Xai, na Estrada Nacional Número 1 (EN1), com 185 quilômetros de extensão, Matola / Boane / Namaacha, na EN2 (65,9 quilômetros), Impaputo / Goba, na EN3 (31 quilômetros), Nampula / Namialo / Lúrio / Metoro na EN1 e Nacala / Namialo na EN12, ambas com 415 quilômetros de extensão.

O Director Geral da ANE afirmou que os contratos de concessão serão válidos por um período máximo de 30 anos.

A gestão de quase toda a rede rodoviária moçambicana é assegurada pelo governo através da ANE, que, diante de uma escassez de fundos, geralmente falha em cumprir o cronograma de manutenção recomendado, o que leva ao mau estado de muitas estradas no país.

A EN4, que liga Maputo à África do Sul, foi entregue em maio de 1997 à Trans African Concessions (TRAC) por 30 anos, a empresa que pagou por sua construção, garante sua manutenção e cobra pedágio na estrada.

Fonte: Club of Mozambique

Compare listings

Comparar